quarta-feira, 28 de maio de 2014 | By: Beatriz Santos Gonçalves

Prôcupa não, bobo!

"O sotaque das mineiras deveria ser ilegal, imoral ou engordar.
Porque, se tudo que é bom tem um desses horríveis efeitos colaterais,
como é que o falar, sensual e lindo ficou de fora?
Porque, Deus, que sotaque!

Mineira devia nascer com tarja preta avisando: ouvi-la faz mal à saúde.
Se uma mineira, falando mansinho, me pedir para assinar um contrato
doando tudo que tenho, sou capaz de perguntar: só isso?
Assino achando que ela me faz um favor.

Eu sou suspeitíssimo. Confesso: esse sotaque me desarma.
Certa vez quase propus casamento a uma menina que me ligou por engano,
só pelo sotaque.
Os mineiros têm um ódio mortal das palavras completas.
Preferem, sabe-se lá por que, abandoná-las no meio do caminho (não dizem:
pode parar, dizem: "pó parar").

Os não-mineiros, ignorantes nas coisas de Minas, supõem, precipitada e
levianamente, que os mineiros vivem - lingüisticamente falando - apenas
de uais, trens e sôs.
Digo-lhes que não. Mineiro não fala que o sujeito é competente em tal ou
qual atividade. Fala que ele é bom de serviço.

Pouco importa que seja um juiz de direito, um jogador de futebol ou um
ator de filme pornô.
Se der no couro - metaforicamente falando, claro - ele é bom de serviço.

Faz sentido...

Mineiras não usam o famosíssimo tudo bem.
Sempre que duas mineiras se encontram, uma delas há de perguntar pra
outra: "cê tá boa?"
Para mim, isso é pleonasmo. Perguntar para uma mineira se ela tá boa é
desnecessário.

Vamos supor que você esteja tendo um caso com uma mulher casada.
Um amigo seu, se for mineiro, vai chegar e dizer: Mexe com isso não, sô
(leia-se: sai dessa, é fria, etc).
O verbo "mexer", para os mineiros, tem os mais amplos significados.
Quer dizer, por exemplo, trabalhar.
Se lhe perguntarem com que você mexe, não fique ofendido. Querem saber o seu ofício.

Os mineiros também não gostam do verbo conseguir.
Aqui ninguém consegue nada. Você não dá conta.
Sôcê (se você) acha que não vai chegar a tempo,você liga e diz:
Aqui, não vou dar conta de chegar na hora, não,sô.

Esse "aqui" é outro que só tem aqui.
É antecedente obrigatório, sob pena de punição pública, de qualquer frase. 
É mais usada, no entanto, quando você quer falar e não estão lhe dando muita atenção: é uma forma de dizer, "olá, me escutem, por favor".
É a última instância antes de jogar um pão de queijo na cabeça do interlocutor.

Mineiras não dizem "apaixonado por".
Dizem, sabe-se lá por que, "pêxonado com".
Soa engraçado aos ouvidos forasteiros.
Ouve-se a toda hora: "Ah, eu pêxonei com ele...".
Ou: "sou doida com ele" (ele, no caso, pode ser você, um carro, um cachorro).
Elas vivem apaixonadas "com" alguma coisa.

Que os mineiros não acabam as palavras, todo mundo sabe. É um tal de
"bonitim", "fechadim", e por aí vai.
Já me acostumei a ouvir: "E aí, vão?". Traduzo: "E aí, vamos?".

Não caia na besteira de esperar um "vamos" completo de uma mineira. 
Não ouvirá nunca.
Eu preciso avisar à língua portuguesa que gosto muito dela, mas prefiro,
com todo respeito, a mineira. Nada pessoal.
Aqui certas regras não entram. São barradas pelas montanhas.

No supermercado, não faz muitas compras, ele compra "um tanto de côsa".
O supermercado não estará lotado, ele terá "um tanto de gente".
Se a fila do caixa não anda, é porque está "agarrando"
[aliás, "garrando"] lá na frente. Entendeu? Agarrar é agarrar, ora!

Se, saindo do supermercado, a mineirinha vir um mendigo e ficar com pena,
suspirará: Ai, gente, que dó. É provável que a essa altura o leitor já esteja apaixonado pelas mineiras.

Não vem caçar confusão pro meu lado.
Porque, devo dizer, mineiro não arruma briga, mineiro "caça confusão".
Se você quiser dizer que tal sujeito é arruaceiro, é melhor falar, para
se fazer entendido, que ele "vive caçando confusão".

Para uma mineira falar do meu desempenho sexual,
ou dizer que algo é muitíssimo bom vai dizer: "Ô, é sem noção".
Entendeu, leitora? É sem noção! 
Você não tem, leitora, idéia do "tanto de bom" que é.
Só não esqueça, por favor, o "Ô" no começo, porque sem ele não dá para
dar noção do tanto que algo é sem noção, entendeu?

Capaz... Se você propõe algo e ela diz: capaz!!!
Vocês já ouviram esse "capaz"? É lindo.
Quer dizer o quê? Sei lá, quer dizer "ce acha que eu faço isso"? com algumas
toneladas de ironia...
Se você ameaçar casar com a Gisele Bundchen, ela dirá: "Ô dó dôcê".
Entendeu? Não? Deixa para lá.

É parecido com o "nem...". Já ouviu o "nem..."?
Completo ele fica:- Ah, nem...
O que significa? Significa, amigo leitor, que a mineira que o pronunciou não
fará o que você propôs de jeito nenhum. Mas de jeito nenhum.

Você diz: "Meu amor, cê anima de comer um tropeiro no Mineirão?".
Resposta: "Nem..." Ainda não entendeu? Uai, nem é nem.

Leitor, você é meio burrinho ou é impressão?
A propósito, um mineiro não pergunta: "você não vai?".
A pergunta, mineiramente falando, seria: "cê não anima de ir"?
Tão simples. O resto do Brasil complica tudo.

É, ué, cês dão umas volta pra falar os trem...
Falando em "ei...".
As mineiras falam assim, usando, curiosamente, o "ei" no lugar do "oi".
Você liga, e elas atendem lindamente: "eiiii!!!", com muitos pontos de
exclamação, a depender da saudade...Tem tantos outros...

O plural, então, é um problema. Um lindo problema, mas um problema.
Sou, não nego, suspeito.
Minha inclinação é para perdoar, com louvor, os deslizes vocabulares
das mineiras.

Aliás, deslizes nada.
Só porque aqui a língua é outra, não quer dizer que a oficial esteja 
com a razão.
Se você, em conversa, falar: Ah, fui lá comprar umas coisas..
Ques côsa? - ela retrucará.
O plural dá um pulo. Sai das coisas e vai para o que.

Ouvi de uma menina culta um "pelas metade", no lugar de "pela metade".
E se você acusar injustamente uma mineira, ela, chorosa, confidenciará:
Ele pôs a culpa "ni mim".

A conjugação dos verbos tem lá seus mistérios em Minas...
Ontem, um

a senhora docemente me consolou: "prôcupa não, bobo!".
E meus ouvidos, já acostumados às ingênuas conjugações mineiras, nem se
espantam. Talvez se espantassem se ouvissem um: "não se preocupe",
ou algo assim.

A fórmula mineira é sintética. E diz tudo.
Até o "tchau" em Minas é personalizado.
Ninguém diz tchau pura e simplesmente.
Aqui se diz: "tchau procê", "tchau procês".
É útil deixar claro o destinatário do tchau.
Então..."

Um abraço bem apertado procê"
(O Sotaque da Mineira - Carlos Drummond de Andrade) 

Minha madrinha me marcou hoje nessa publicação no facebook, e convenhamos, como boa mineira que sou não posso deixar de publicá-la!
Simplesmente rí horrores, porque apesar de ter vindo para o rio com meus de 1 ano, eu me pego falando cádiquê, pópopó, o famoso Ô (sem precisar acrescentar nada, porque a intonação já diz tudo), e sim, quando vejo alguém ou atendo o telefone de um conhecido, vem o longo e sonoro EI! rsrsrsrsrs...

O que posso fazer? AMO minha terra natal, não escondo de ninguém a minha mineirice (Até porque o meu ssss, e o sotaque me entregam), e não tenho vergonha de falar que vim de uma cidade considerada até pouco Interior, que é São Gonçalo do Rio Abaixo (já ouço, como sempre o ouvi, os seus Hã??? Onde??), e toda vez que vou pra lá, volto mais mineira do que nunca e com sotaque nas alturas! Rsrsrsrsrs

Por hoje é só galera!
Beijocas _o/
E inté procês!
quarta-feira, 21 de maio de 2014 | By: Beatriz Santos Gonçalves

Ser, Dançar, Encantar, Renascer...

"Dança Ventre 
Deusa Vida 
Lua 
Céus. 
Saias
Lenços
Brilhos 
Véus. 
Som 
Ser 
Dançar 
Encantar. 
Renascer 
Apresentar 
Ousar. 
Na ponta do pé 
No balançar do quadril 
No girar das saias 
Um mundo sutil. 
Ventre dança 
Deusa Ventre 
Vida dança 
Dança do ventre."

(Dança do Ventre - Beatriz Gonçalves)
quarta-feira, 23 de abril de 2014 | By: Beatriz Santos Gonçalves

I will never be the same without you...

"I can't win, I can't reign
I will never win this game
Without you
Without you

I am lost, I am vain
I will never be the same
Without you
Without you

I won't run, I won't fly
I will never make it by
Without you
Without you

I can't rest, I can't fight
All I need is you and I
Without you
Without you

Oh, oh, oh
You, you, you
Without
You, you, you
Without you
Can't erase, so I'll take blame
But I can't accept that we're estranged
Without you
Without you

I can't quit now, this can't be right
I can't take one more sleepless night
Without you
Without you

I won't soar, I won't climb
If you're not here, I'm paralyzed
Without you
Without you

I can't look, I'm so blind
I lost my heart, I lost my mind
Without you
Without you

Oh, oh, oh
You, you, you
Without
You, you, you
Without you"




A música é até "antiguinha", mas sou completamente apaixonada por essa versão da Lea Michelle, em glee.
Acho que ela passa uma super emoção na voz, como se viesse do mais profundo da alma (não que esteja falando que o Usher não seja, ok?), mas sei lá, prefiro essa versão de piano, do que a baladinha do David Guetta...

Enfim, como havia prometido antes, estou aos poucos tirando os rascunhos escondidos e publicando-os..
Tem texto à beça parado...

Mas por hoje é só!
Beijocas!
Fui-me _o/
terça-feira, 22 de abril de 2014 | By: Beatriz Santos Gonçalves

Tão frágeis e sensíveis, Tão lobas e famintas...

"O que eu escondo? 
Não sei...
Poucas coisas... 
Bobas... 
Algumas fortes... 
Nem te conto. 

Eu carregarei eternamente sozinha... 
Sou forte, sou capaz de aguentar... 
Quanto a ti não sei... 
As mulheres são guerreiras 
E silenciam quando precisam... 
Compartilham o que podem 
Dão o que tem. 

Todas tem segredos 
Amores violentos 
Paixões interrompidas 
Sonhos esquecidos... 
Podem carregar dores, mágoas 
Mas não transparecem a qualquer um. 

Escolhem um homem para amar,
Compartilhar alegrias e sonhos 
Algumas tristezas e medos... 
Mas tem medos que são só delas. 
Tem desejos que são secretos. 
Lembranças que são ocultas... 
Através de olhos sinceros. 

Mas elas amam mesmo assim... 
Se entregam, se dividem. 
Acreditam, esperam. 
Possuem um amor infinito 
E outras coisas infinitas... 
Que mal cabem dentro delas 
Tão frágeis e sensíveis 
Tão lobas e famintas"

(Mistério de Mulher - Beatriz Gonçalves)
sexta-feira, 11 de abril de 2014 | By: Beatriz Santos Gonçalves

Everybody's got a dark side... Do you love me? Can you love mine?

"There's a place that i know
It's not pretty there and few have 
ever gone
If i show it to you now
Will it make you run away?

Or will you stay?
Even if it hurts
Even if i try to push you out
Will you return?
And remind me who i really am
Please remind me who i really am

Everybody's got a dark side
Do you love me?
Can you love mine?
Nobody's a picture perfect
But we're worth it
You know that we're worth it
Will you love me?
Even with my dark side?

Like a diamond
From black dust
It's hard to know
It can become
If you give up
So don't give up on me
Please remind me who i really am

Everybody's got a dark side
Do you love me?
Can you love mine?
Nobody's a picture perfect
But we're worth it
You know that we're worth it
Will you love me?
Even with my dark side?

Don't run away
Don't run away
Just tell me that you will stay
Promise me you will stay
Don't run away
Don't run away
Just promise me you will stay
Promise me you will stay

Will you love me? oh

Everybody's got a dark side
Do you love me?
Can you love mine?
Nobody's a picture perfect
But we're worth it
You know that we're worth it
Will you love me?
Even with my dark side?"

(Dark side - Kelly Clarkson)


http://letras.mus.br/kelly-clarkson/1928330/traducao.html