sábado, 1 de maio de 2010 | By: Beatriz Santos Gonçalves

Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido...

"Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia noite.
É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.
Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição.
Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício.
Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo.
Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido.
Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho.
Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus.
Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades.
Se as coisas não saíram como planejei posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar.
O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser.
E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma.
Tudo depende só de mim."

(Charles Chaplin)


Não, hoje não vou publicar só textos do 'Carlitos', queria publicar mesmo esses três..
Gosto muito deles, e são textos que me fazer refletir..
Então não vou falar muita coisa dessa vez, se não sai outro texto como o último..rsrsrsrs ;x

Enfim, volto mais tarde com um Chico Buarque, vou selecionar outros textos enquanto escuto o amistoso do fogão.. =D

Beijos pessoal,
Fui-me!_o/

Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.

"Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima.
Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é...Autenticidade.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de... Amadurecimento.
Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é... Respeito.
Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama... Amor-próprio.
Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é... Simplicidade.
Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a... Humildade.
Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é... Plenitude.
Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é... Saber viver!!!
(Quando me amei - Charles Chaplin)


Não preciso continuar o meu comentário sobre esse fantástico artista..
Mas há verdade maior do que essa?

"Amar-se é o segredo para obter sucesso na vida, é aprender a se respeitar, a se valorizar..
É criar coragem para seguir teus sonhos, aprender com os próprios erros, engrandecer as próprias virtudes...
É também aprender a respeitar o outro, não forçar uma situação onde não se está preparado, é aprender a colocar os seus próprios limites e respeitá-los...
Então ame-se, pois somente assim podemos prosseguir com o seu devido valor e a cabeça erguida...
Pois não se pode pedir respeito, se você não se dá o respeito..
Não se pode ter valor, se tu próprio não se valoriza..
Não se pode conseguir algo, se vós não acreditas que podes alcansar..
Não se pode sonhar, se você não vive..
Não se pode ser ouvido, se não estás disposto a ouvir o outro..
Não se pode viver, se vós tens medo da vida...
Se tu não se ama, não há um verdadeiro sorriso em teu rosto, não há felicidade em teus dias, e acima de tudo, não há a verdadeira vontade em se viver..."
(Beatriz Santos Gonçalves)


Me impolguei um pouquinho e acabei escrevendo um texto ^^'
Mas acho que vale a reflexão.. =D
No momento é só, acredito que hoje é um daqueles dias de 7 textos ;x
Mas como comecei cedo, terei tempo para avaliar todos com muita calma, e também refletir.. ^^

Beijocas pessoal,
Eu volto mais tarde ;D
Fui-me!_o/

Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis...

"O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos.

A cobiça envenou a alma dos homens... levantou no mundo as muralhas do ódios... e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e morticínios.

Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria.

Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.

Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.

(O Último discurso, do filme O Grande Ditador - Charles Chaplin)"


Blogando hoje da casa do meu pai :}
Cara além de um tremendo ator, um ótimo escritor... Um artista sensato, e muito inteligente...
Eu amo os filmes dele, desde os mudos, aos não-mudos.. Ele serve-me de grande inspiranção no teatro.. Na minha carreira amadora de 16 anos de palco...

Indico à todos esse filme, como também o clássico 'Tempos Modernos'.. Assistam, pois vale muito a pena!!

No momento é só pessoal, mas trago muito mais coisa hoje, além de outros do meu amado 'Carlitos'..
Beijocas!
Fui-me!_o/
quinta-feira, 29 de abril de 2010 | By: Beatriz Santos Gonçalves

Não quero ter o que não tenho, e eu não tenho medo de errar...

"Quantas vezes eu estive
Cara a cara com a pior metade?
A lembrança no espelho,
A esperança na outra margem

Quantas vezes a gente sobrevive
À hora da verdade?
Na falta de algo melhor
Nunca me faltou coragem

Se eu soubesse antes o que sei agora
Erraria tudo exatamente igual...

Tenho vivido um dia por semana
Acaba a grana, mês ainda tem
Sem passado nem futuro,
Eu vivo um dia de cada vez

Quantas vezes eu estive
Cara a cara com a pior metade?
Quantas vezes a gente sobrevive
À hora da verdade?

Se eu soubesse antes o que sei agora
Iria embora antes do final...

Surfando karmas e dna
Eu não quero ter o que eu não tenho
Não tenho medo de errar!

Surfando karmas e dna
Não quero ser o que eu não sou
Eu não sou maior que o mar...

Na falta do que fazer, inventei a minha liberdade!!

Surfando karmas e dna"

(Engenheiros do Hawaii - Surfando Karmas & DNA
)

Como eu disse, esta é a música que eu queria publicar...
Eu gosto dela, e foi a mesma que me ergueu quando eu fiquei mal por causa do fundão...
Acho que é uma das maiores verdades que existem, não podemos nos arrepender de nossas escolhas, pois elas nos tornaram o que somos agora.. Devemos sim aprender com os erros..
Eu errei muitas vezes, e tenho consequencias de alguns erros até hoje.. Mas não me arrependo, pois eles me tornaram o que sou agora, e sinceramente... Não vou mudar o que sou por nada, nem ninguém.. Apenas quando eu não gostar de mim a minha maneira...

Enfim pessoal, tô super cansada..
mas amanhã eu publico pelo menos mais um textinho okay? ^^ rsrsrsrs
Beijocas!
E Boa noite à todos!
Fui-me!_o/

Então deixa brotar esse sorriso....

"Pare.

Respire.

Respire profundamente.

Olhe ao seu redor.

Agora pense.

Sim, sorria.

É natural.

Então deixa brotar esse sorriso.

Eu sei que você quer…

…então porque não?

Sinta o vento circulando ao seu redor.

Gostoso, certo?

Ora brisa, ora tormenta.

Assim é a vida.

E se com o vento é bom, porque com a vida não seria?

Então, relaxa.

E faça diferente...

Se permita viver.

Porque o que tiver que ser, será."
(Antônio Neto ou Narrador)


Ahhh eu fã confessa do meu maninho x3
Simplesmente amei esse texto dele..

Eu sei, eu sei... disse que ia postar um texto meu, mas tô sem tempo.. =/
Até achei o meu caderno, e assim que eu arrumar um 'cadinho' de tempo pra passar pro pc eu publico okay? =D

No momento é só, mas acho que ainda publico mais alguma coisa hoje, provavelmente uma música...

Beijocas Galera!
Fui-me!_o/
terça-feira, 27 de abril de 2010 | By: Beatriz Santos Gonçalves

Ninguém liga se você não sabe dançar. Levante e dance!!!

"1. Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom, não pode ser uma boa pessoa.

2. As pessoas que querem compartilhar as visões religiosas delas com você, quase nunca querem que você compartilhe as suas com elas.

3. Ninguém liga se você não sabe dançar. Levante e dance.

4. A força mais destrutiva do universo é a fofoca.

5. Não confunda nunca sua carreira com sua vida.

6. Jamais, sob quaisquer circunstâncias, tome um remédio para dormir e um laxante na mesma noite.

7. Se você tivesse que identificar, em uma palavra, a razão pela qual a raça humana ainda não atingiu (e nunca atingirá) todo o seu potencial, essa palavra seria "reuniões".

8. Há uma linha muito tênue entre "hobby" e "doença mental".

9. Seus amigos de verdade amam você de qualquer jeito.

10. Nunca tenha medo de tentar algo novo. Lembre-se de que um amador solitário construiu a Arca. Um grande grupo de profissionais construiu o Titanic."
(10 coisas que levei anos para aprender - Luis Fernando Veríssimo)

Não t amo +, Estarei mentindo dizendo q ainda t quero como sempre quis.. <=> Ainda t quero como sempre quis, Estarei mentindo dizendo q não t amo +..

"Não te amo mais
Estarei mentindo dizendo que
Ainda te quero como sempre quis
Tenho certeza que
Nada foi em vão
Sinto dentro de mim que
Você não significa nada
Não poderia dizer mais que
Alimento um grande amor
Sinto cada vez mais que
Já te esqueci!
E jamais usarei a frase
Eu te amo!
Sinto, mas tenho que dizer a verdade
É tarde demais..."
(Tudo é o Olhar - Clarice Lispector)


Ahhhh como eu amo esse poeminha!
Leia-o de forma direta, e releia-o de forma inversa...
Pois é... Como disse o título.. de fato, Tudo é o olhar!

Jajá publico o último texto de hoje!
Beijásso people!
Fui-me!_o/

Este estar mal no mundo e nesta lei: Não fiz a lei e o mundo não aceito!

"Oculta consciência de não ser,
Ou de ser num estar que me transcende,
Numa rede de presenças
E ausências,
Numa fuga para o ponto de partida:
Um perto que é tão longe,
Um longe aqui.
Uma ânsia de estar e de temer
A semente que de ser se surpreende,
As pedras que repetem as cadências
Da onda sempre nova e repetida
Que neste espaço curvo vem de ti."
(Espaço Curvo e Infinito - José Saramago)


"Não me peçam razões, que não as tenho,
Ou darei quantas queiram: bem sabemos
Que razões são palavras, todas nascem
Da mansa hipocrisia que aprendemos.

Não me peçam razões por que se entenda
A força de maré que me enche o peito,
Este estar mal no mundo e nesta lei:
Não fiz a lei e o mundo não aceito.

Não me peçam razões, ou que as desculpe,
Deste modo de amar e destruir:
Quando a noite é de mais é que amanhece
A cor de primavera que há-de vir."
(Não me peçam razões - José Saramago)


"Sublimemos, amor. Assim as flores
No jardim não morreram se o perfume
No cristal da essência se defende.
Passemos nós as provas, os ardores:
Não caldeiam instintos sem o lume
Nem o secreto aroma que rescende"
(Química - José Saramago)


Sim, um pouco mais de Saramago..
São três pequenos textos, mas de fato são textos de muita significação...

Não vou comentá-los muitos, pois são textos que me fazem pensar em demasia, principalmente o segundo! Enfim...

Já volto com mais texto!
Estou realmente correndo hoje para conseguir publicar tudo o que eu separei! rsrsrs
Beijocas Galera!
Fui-me!_o/

Caio em completo devaneio e ponho-me a sonhar um dicionário que desse precisamente, exactamente, o sentido das palavras..

"Sorriso, diz-me aqui o dicionário, é o acto de sorrir. E sorrir é rir sem fazer ruído e executando contracção muscular da boca e dos olhos.

O sorriso, meus amigos, é muito mais do que estas pobres definições, e eu pasmo ao imaginar o autor do dicionário no acto de escrever o seu verbete, assim a frio, como se nunca tivesse sorrido na vida. Por aqui se vê até que ponto o que as pessoas fazem pode diferir do que dizem. Caio em completo devaneio e ponho-me a sonhar um dicionário que desse precisamente, exactamente, o sentido das palavras e transformasse em fio-de-prumo a rede em que, na prática de todos os dias, elas nos envolvem.

Não há dois sorrisos iguais. Temos o sorriso de troça, o sorriso superior e o seu contrário humilde, o de ternura, o de cepticismo, o amargo e o irónico, o sorriso de esperança, o de condescendência, o deslumbrado, o de embaraço, e (por que não?) o de quem morre. E há muitos mais. Mas nenhum deles é o Sorriso.

O Sorriso (este, com maiúsculas) vem sempre de longe. É a manifestação de uma sabedoria profunda, não tem nada que ver com as contracções musculares e não cabe numa definição de dicionário. Principia por um leve mover de rosto, às vezes hesitante, por um frémito interior que nasce nas mais secretas camadas do ser. Se move músculos é porque não tem outra maneira de exprimir-se. Mas não terá? Não conhecemos nós sorrisos que são rápidos clarões, como esse brilho súbito e inexplicável que soltam os peixes nas águas fundas? Quando a luz do sol passa sobre os campos ao sabor do vento e da nuvem, que foi que na terra se moveu? E contudo era um sorriso."

(José Saramago)


Olha, peço sinceras desculpas se estou postando demasiadamente rápido hoje...
É porque tenho pouco tempo, afinal como disse ontem as minhas aulas voltaram ao normal...
Entretanto tenho muito textos bons selecionados para postar aqui...

Confesso que fiquei muito feliz por tê-lo encontrado hoje, pois estava querendo publicá-lo desde o ano passado!
Eu amo Saramago, acho uma verdadeira escrita de qualidade, e indico à todos que realmente apreciam uma boa leitura o 'Ensaio sobre a cegueira', pois vale muito à pena!

Ainda tenho mais 3 textos pra postar hoje..
Então eu já vou indo antes que não publique tudo! rsrsrsrsrsrs
Beijão pessoal!
Fui-me!_o/

Fazemos muitas paradas na vida, mas supondo-se que aquela não fosse uma parada qualquer...

"O que registro agora aconteceu hoje de madrugada quando a porta do meu quarto de trabalho se abriu mansamente, sem que eu notasse. Ergui um instante os olhos da mesa e encontrei os olhos perdidos da minha mulher. Descalça, entrava aqui feito ladrão. Adivinhei logo seu corpo obsceno debaixo da camisola, assim como a tensão escondida na moleza daqueles seus braços, enérgicos em outros tempos. Assim que entrou, ficou espremida ali ao canto; me olhando. Ela não dizia nada, eu não dizia nada. Senti num momento que minha mulher mal sustentava a cabeça sob o peso de coisas tão misturadas, ela pensando inclusive que .me atrapalhava nessa hora absurda em que raramente trabalho, eu que não trabalhava. Cheguei a pensar que dessa vez ela fosse desabar, mas continuei sem dizer nada, mesmo sabendo que qualquer palavra desprezível poderia quem sabe tranqüilizá-la. De olhos sempre baixos, passei a rabiscar ao verso de uma folha usada, e continuamos os dois quietos: ela acuada ali no canto, os olhos em cima de mim; eu aqui na mesa, meus olhas em cima do papel que eu rabiscava. De permeio, um e outro estalido na madeira do assoalho.

Não me mexi na cadeira quando percebi que minha mulher abandonava o seu canto, não ergui os olhos quando vi sua mão apanhar o bloco de rascunho que tenho entre meus papéis. Foi uma caligrafia rápida e nervosa; foi una frase curta que ela escreveu, me empurrando o bloco todo, sem destacar a folha, para o foco dos meus olhos: "vim em busca de amor" estava escrito, e em cada letra era fácil de ouvir o grito de socorro. Não disse nada, não fiz um movimento, continuei com os olhos pregados na mesa. ?Mas logo pude ver sua mão pegar de novo o bloco e quase em seguida me devolvê-lo aos olhos: "responda" ela tinha escrito mais embaixo numa letra desesperada, era um gemido. Fiquei um tempo sem me mexer, mesmo sabendo que ela sofria, que pedia em súplica, que mendigava afeto. Tentei arrumar (foi um esforço) sua imagem remota, iluminada; provocadoramente altiva, e que agora expunha a nuca a um golpe de misericórdia. E ali, do outro lado da mesa, minha mulher apertava as mãos, e esperava. Interrompi o rabisco e escrevi sem pressa: "não tenho afeto para dar", não cuidando sequer de lhe empurrar o bloco de volta, mas nem foi preciso, sua mão, com a avidez de um bico, se lançou sobre o grão amargo que eu, num desperdício, deixei escapar entre meus dedos. Mantive os olhos baixos, enquanto ela deitava o bloco na mesa com calma e zelo surpreendentes, era assim talvez que ela pensava refazer-se do seu ímpeto.

Não demorou, minha mulher deu a volta na mesa e logo senti sua sombra atrás da cadeira, e suas unhas no dorso do meu pescoço, me roçando as orelhas de passagem, raspando o meu couro, seus dedos trêmulos me entrando pelos cabelos desde a nuca. Sem me virar, subi o braço, fechei minha mão ao alto, retirando sua mão dali como se retirasse um objeto corrompido, mas de repente frio, perdido entre meus cabelos. Desci lentamente nossas mãos até onde chegava o comprimento do seu braço, e foi nessa altura que eu, num gesto claro, abandonei sua mão no ar. A sombra atrás de mim se deslocou, o pano da camisola esboçou um vôo largo, foi num só lance para a janela, tinha até verdade naquela ponta de teatralidade. Mas as venezianas estavam fechadas, ela não tinha o que ver, nem mesmo através das frinchas, a madrugada lá fora ainda ressonava. Espreitei um instante: minha mulher estava de costas, a mão suspensa na boca, mordia os dedos.

Quando ela veio da janela, ficando de novo à minha frente, do outro lado da mesa, não me surpreendi com o laço desfeito do decote, nem com os seios flácidos tristemente expostos, e nem com o traço de demência lhe pervertendo a cara. Retomei o rabisco enquanto ela espalmava as mãos na superfície, e, debaixo da mesa, onde eu tinha os pés descalços na travessa, tampouco me surpreendi com a artimanha do seu pé, tocando com as pontas dos dedos a sola do meu, sondando clandestino minha pele no subsolo. Mais seguro, próspero, devasso, seu pé logo se perdeu sob o pano do meu pijama, se esfregando na densidade dos meus pêlos, subindo afoito, me lambendo a perna feito uma chama. Fiz a tentativa com vagar, seu pé de início se atracou voluntarioso na barra, e brigava, resistia, mas sem pressa me desembaracei dele, recolhendo meus próprios pés que cruzei sob a cadeira. Voltei a erguer os olhos, sua postura, ainda que eloqüente, era de pedra: a cabeça jogada em arremesso para trás, os cabelos escorridos sem tocar as costas, os olhos cerrados; dois frisos úmidos e brilhantes contornando o arco das pálpebras; a boca escancarada, e eu não minto quando digo que não eram os lábios descorados, mas seus dentes é que tremiam.

Numa arrancada súbita, ela se deslocou quase solene em direção à porta; logo freando porém o passo. E parou. Fazemos muitas paradas na vida, mas supondo-se que aquela não fosse uma parada qualquer, não seria fácil descobrir o que teria interrompido o seu andar. Pode ser simplesmente que ela se remetesse então a uma tarefa trivial a ser cumprida quando o dia clareasse. Ou pode ser também que ela não entendesse a progressiva escuridão que se instalava para sempre em sua memória. Não importa que fosse por esse ou aquele motivo, só sei que, passado o instante de suposta reflexão minha mulher, os ombros caídos, deixou o quarto feito sonâmbula."

(Hoje de Madrugada - Raduan Nassar)


Nossa, a quanto tempo não trago contos e crônicas..
Eu nem pretendia pulbicar nada nesse estilo hoje, mas deparei-me com sensacional texto de Raduan Nassar...
E olhe, que grande escritor temos!

Espero sinceramente que tenha curtido esse texto.. pois simplesmente achei sensacional!
No momento é só gente!
Mas eu volto ainda hoje...

Beijos!
Fui-me!_o/

Assim como o oceano, Só é belo com luar... Assim como a canção, Só tem razão se se cantar...

"Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso, meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos
Me encaminham pra você

Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer
Assim como viver
Sem ter amor não é viver
Não há você sem mim
Eu não existo sem você"

(Vinicius de Moraes - Eu não existo sem você)


É... de fato ando um tanto poética esses dias..
Mas trouxe esse texto pois há muito que não publico Vinícius...
Sou apaixonada pelas músicas e poesias... e mesmo assim não o é visto tanto por aqui...

Devo públicar mais algo hoje... E infelizmente o texto meu que prometi não saiu... e o que eu tenho é pessoal demais para publicar...

No momento é só..
Daqui a pouco eu apareço de novo..
Beijocas!
Fui-me!_o/
segunda-feira, 26 de abril de 2010 | By: Beatriz Santos Gonçalves

E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo...

"Não quero alguém que morra de amor por mim...

Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando.

Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.
Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim...

Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível...
E que esse momento será inesquecível...

Só quero que meu sentimento seja valorizado.
Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre...
E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.

Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém...e poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.

Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho...

Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento...e não brinque com ele.

E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.

Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe...

Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem humildade e paz.
Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos, talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.

Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas...
Que a esperança nunca me pareça um NÃO que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como SIM.

Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros... Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.

Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão...

Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim... e que valeu a pena."
(Adriana Britto - Certezas)


Cara... Eu saí olhando o meu 'buscador de textos' aleatóriamente.. E de fato eu não conheço a autora dele..
Mas acho que nunca me encontrei tanto num texto como me aconteceu hoje...
Espero sinceramente que tenham gostado, pois eu gostei e muito!

Acredito que ainda posto mais alguma coisa hoje, e que amanhã eu trago um texto meu..
Mas não prometo nada.. Acabou o feriadão e o pré voltou com tudo e eu tenho que estudar à vera!! Mas manterei aqui atualizado o máximo que eu puder, e trazendo mais textos meus se possível...

Mas no momento é só pessoal!
Beijocas à todos!
Fui-me!_o/
domingo, 25 de abril de 2010 | By: Beatriz Santos Gonçalves

Saudade este sentimento de vazio que me tira o sono..

"Por que sinto falta de você? Por que esta saudade?
Eu não te vejo, mas imagino suas expressões, sua voz, teu cheiro.
Seu amor me faz sonhar com um carinho,
Um caminhar, a luz da lua, a beira mar.
Saudade este sentimento de vazio que me tira o sono
me fazendo sentir num triste abandono, é amizade eu sei, será amor talvez...
Só não quero perder sua amizade, esta amizade...
Que me fortalece me enobrece por ter você."
(Saudade - Machado de assis)