terça-feira, 27 de abril de 2010 | By: Beatriz Santos Gonçalves

Este estar mal no mundo e nesta lei: Não fiz a lei e o mundo não aceito!

"Oculta consciência de não ser,
Ou de ser num estar que me transcende,
Numa rede de presenças
E ausências,
Numa fuga para o ponto de partida:
Um perto que é tão longe,
Um longe aqui.
Uma ânsia de estar e de temer
A semente que de ser se surpreende,
As pedras que repetem as cadências
Da onda sempre nova e repetida
Que neste espaço curvo vem de ti."
(Espaço Curvo e Infinito - José Saramago)


"Não me peçam razões, que não as tenho,
Ou darei quantas queiram: bem sabemos
Que razões são palavras, todas nascem
Da mansa hipocrisia que aprendemos.

Não me peçam razões por que se entenda
A força de maré que me enche o peito,
Este estar mal no mundo e nesta lei:
Não fiz a lei e o mundo não aceito.

Não me peçam razões, ou que as desculpe,
Deste modo de amar e destruir:
Quando a noite é de mais é que amanhece
A cor de primavera que há-de vir."
(Não me peçam razões - José Saramago)


"Sublimemos, amor. Assim as flores
No jardim não morreram se o perfume
No cristal da essência se defende.
Passemos nós as provas, os ardores:
Não caldeiam instintos sem o lume
Nem o secreto aroma que rescende"
(Química - José Saramago)


Sim, um pouco mais de Saramago..
São três pequenos textos, mas de fato são textos de muita significação...

Não vou comentá-los muitos, pois são textos que me fazem pensar em demasia, principalmente o segundo! Enfim...

Já volto com mais texto!
Estou realmente correndo hoje para conseguir publicar tudo o que eu separei! rsrsrs
Beijocas Galera!
Fui-me!_o/

0 comentários:

Postar um comentário