terça-feira, 4 de maio de 2010 | By: Beatriz Santos Gonçalves

A dor é inevitável, o sofrimento opcional...

"Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que
gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um
amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um
verso:

Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do
sofrimento,perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional..."
(Carlos Drummond de Andrade - Definitivo)



Ahh Drummond, meu adorado conterrâneo x3
Gosto muito desses textos, demasiados realistas e reflexivos até...
Mas Drummond, é sempre Drummond..
E acima de tudo um grande escritor!

No momento é só, estou cansada..
E amanhã vai ser um dia longo..
Mas acredito que eu publico algum textinho amanhã.. ^^

Beijocas pessoal!
Boa Noite aos que continuam por aqui!
Fui-me!_o/

2 comentários:

Matheus Seixas disse...

Flaubert dizia: "Saudades dos tempos que não vivi"
Mas eu quero viver.. temos tempo.. temos vida..
vamos viver tudo que há para viver..
vamos conhecer estas cidades, estes campos.. vamos crescer, envelhecer..
vamos dançar, namorar, viajar..
são tantos "sonhos"..
mas todos se realizam quando estou com você..
Je t'aime mon amour!

Alexandre P. Silva disse...

Carlos Drummond de Andrade não precisa de muitos comentários. Basta ignorarmos a pedra que está no meio do caminho que tudo vai bem.
Gostei muito disso:
"Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um
amigo, para nadar, para namorar."

Postar um comentário