segunda-feira, 1 de março de 2010 | By: Beatriz Santos Gonçalves

Calçar um velho chinelo..Sentar numa velha poltrona...Tocar violão para alguém.

"Desejo a vocês...
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho.
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender um nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas de alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel
E muito carinho meu.."


(Carlos Drummond de Andrade - Desejos)

Gente desculpe o sumiço, mas me enrolei trabalhando e não tive muito tempo pra postar desde o último...=/

Espero que estejam gostando do blog, e agradeço mesmo à todos que estão mandando críticas, sugestões, pedidos... Tenho mais textos meus para postar... mas parece que meu caderno criou perninhas e se escondeu de mim! ¬¬

Enfim gente.. acho que por hoje é só.. amanhã eu volto com outro... prometo! =)
Beijos à todos, e continuem mandando a opinião de vocês!
Fui-me! _o/

2 comentários:

Anonymous disse...

Tipo que eu sempre venho, mas nunca comento, então nem tenho muito direito a reclamar, né?! =P
Mas me diz... quando mesmo que tem o próximo post? hiAHiuHAiuHAI
Beeijos ;** do seu maninho

Ana disse...

Recebi um PPS feito por neydecastello@uol.com.br com este poema. Fui procurar no Gloogle e encontrei este seu blog.

É você a autora do poema, não?

Se você identificou DRUMMOND como o autor, você tem que saber em que obra isto foi publicado, não? Poderia me dizer em qual livro do Drummond está este poema? Conheço razoavelmente a obra de Drummond. Não identifico, neste texto, qualquer característica de Drummond. Ele jamais teria dito algumas frases contidas neste texto.

Eu tenho a última edição da obra completa do Drummond da Editora Nova Aguilar
(2019 páginas) e não o encontrei em nenhuma delas...

Será que há alguma obra póstuma, poeterior à esta edição da Aguilar?

Gostaria que me respondesse.
anazanelli2000@hotmail.com

Postar um comentário