quarta-feira, 7 de abril de 2010 | By: Beatriz Santos Gonçalves

Finge tão completamente, que chega a fingir que é dor, a dor que deveras sente..

"O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas da roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama o coração."
(Fernando Pessoa - Autopsicografia)


Mais um texto do Pessoa, tinha separado ele a um tempinho já...
Acho ele sensacional, e eu como como "poeta" e atriz (ainda que tenha 16 anos de teatro não profissional), sei exatamente como é fingir bem uma dor que se sente, ou não se sente, ou que venha a sentir.. Enfim, (antes que enrole mais a escrita) eu gosto desse texto! xD

Em instantes vou postar o texto do meu acontecimento nesta chuva do rio! ^^
Beijinhos Galera!
Fui-me! _o/

1 comentários:

Alexandre P. Silva disse...

Pessoa é, como sabemos, o maior poeta português do século XX e o segundo maior depois de Camões.
No Brasil, vimos como um ex-jogador (Romário) tentou intitular um outro ex-jogador (Pelé) como um poeta anos atrás. Como sempre, Romário fez uma "declaração poetíssima" ao dizer que o Rei do Futebol "calado era um poeta".
Romário precisa muito ler o Fernandão você não acha?
Abraços. :D

Postar um comentário